Últimas do Mundo "L"

28.5.10

OnLive: a plataforma que pode revolucionar o mundo dos games como o conhecemos

Materia retirada do Infológico


O mês de Junho está quase chegando e com ele aquilo que promete ser uma das maiores inovações no campo dos jogos de videogame. Estamos falando do tão comentado OnLive, a incrível plataforma que permitirá que se jogue qualquer jogo disponível no mercado via streaming de vídeo. E o que isso significa? Significa jogar títulos de última geração de qualquer lugar e sem que você precise de um computador incrementado, bastando que exista uma conexão de internet.

Funcionamento


O OnLive é tudo aquilo que um gamer sempre sonhou. Imagine só ter acesso aos títulos de grandes empresas à medida que eles forem saindo e o melhor, não precisar de uma grande máquina para jogar. Se formos parar pra pensar, tal serviço poderá ser uma ameaça direta aos consoles, pois caso tudo ocorra como previsto e o OnLive se torne verdadeiramente uma plataforma viável, não terá mais sentido ficar mudando de aparelho sempre que lançarem uma geração nova, uma vez que os gráficos não estarão rodando nativamente em seu computador, mas num servidor a milhares de quilômetros de você.

O serviço é basicamente um streaming de imagem e som, muito parecido àquilo que vemos no YouTube, por exemplo. O serviço exigirá uma assinatura mensal ou anual, com a qual você terá acesso a uma conta onde ficarão armazenados todos os seus dados de jogador, como pontuação, amigos e últimos jogos. O OnLive ainda oferecerá um sistema de "jogos ao vivo", ou seja, você poderá ver o que outras pessoas ao redor do mundo estão jogando naquele momento, algo como um quadro com imensas telas nas quais os jogos são exibidos. Por enquanto, apenas residentes nos Estados Unidos terão acesso ao serviço.

Por meio da página inicial poderá se ter acesso a qualquer área do OnLive facilmente


- OnLive Arena -
Aqui você pode acompanhar qualquer jogo que esteja acontecendo naquele momento

O funcionamento do OnLive é impressionante e é o que mais chama a atenção nele (e o motivo pelo qual os críticos duvidam que tal serviço dará certo). Segundo o vídeo de demonstração, ao jogar no OnLive o impulso elétrico referente ao apertar de um botão de ação é processado pelo servidor em impressionante 1ms (um milisegundo). Depois entram em ação os poderosos processadores de imagem do servidor central, localizado no estado americano da Virgínia. Eles processam a imagem, fazem a compressão e enviam até o jogador em 80ms, que é o tempo que a visão humana leva para perceber a imagem na tela após pressionar o botão. A intenção é fazer com que o jogador pense que está rodando o jogo nativamente no pc ou jogando em um console comum.


Nós sabemos que mesmo que a conexão com a internet tenha boa velocidade, existem alguns empasses no decorrer da transmissão que podem reduzir a velocidade e, quando falamos de OnLive, uma pequena redução de velocidade prejudicaria o funcionamento geral do serviço, pois não há o velho conhecido sistema  de "buferring", ou seja, aquela pequena pausa que percebe-se antes que um vídeo tenha início. Isso porque a imagem não pode esperar um segundo sequer para surgir na tela - seria o fracasso do serviço! Para tanto, os criadores do OnLive inventaram uma nova forma de comprimir vídeos de maneira extremamente rápida e sem perda de qualidade, de modo que a transmissão seja imediata.

Segundo algumas entrevistas dadas a imprensa pelos criadores do serviço, não será necessário que o usuário possua uma conexão de internet de grande velocidade, exigindo o mínimo de 1 mbps para ter acesso. A qualidade da imagem chegada à tela do jogador variará de acordo com esta velocidade, podendo ir do padrão de TV (640x480) a alta definição (não foi informado qual dos três padrões HD será o máximo oferecido pelo OnLive).

- OnLive Brag Clips -
Aqui poderá se gravar vídeos do jogo que se está jogando e disponibilizá-los aos demais usuários.

Vantagens de se jogar no OnLive


Há questões significativas que podem popularizar o OnLive rapidamente. A primeira delas é que o OnLive não se trata de um catálogo de jogos. O que isso significa? Significa que você poderá jogar on line qualquer jogo que saia nas lojas e que pertença a uma das empresas filiadas ao serviço. E isso não é pouco, pois as grandes empresas fabricantes de videogames já deram seu apoio ao OnLive, tais como EA Games, Ubisoft, Warner, Epic, THQ, entre outros. Infelizmente a Actvisionainda não confirmou sua parceria. Para quem já é familiarizado com serviços de catálogos de jogos, como o Steam, sabe que somente alguns títulos ficam disponibilizados para que o usuário faça download. No OnLive, o jogo ficará disponível no ato do lançamento ou pouco tempo depois disso e sem restrições. Dentre os títulos em destaque estão Metro 2033, Mass Efect 2, Prince of Persia: The Forgotten Sands e Assassin's Creed II. Versões betas podem ser disponibilidades e testadas pelos usuários que poderão ajudar no desenvolvimento de jogos fornecendo um feedback aos desenvolvedores. 



Outra grande vantagem é que, tecnicamente, não há download de conteúdo nenhum, ou seja, não será necessário esperar que o browser baixe alguma complemento, nem que se tenha que esperar horas para a realização de um download completo. O acesso ao jogo escolhido é imediato.

Por ser basicamente um streaming de vídeo, o OnLive permitirá ao jogador ter acesso a qualquer jogo de onde quer que ele esteja e utilizando aquilo que ele estiver à mão, seja um PC, um Mac, um netbook, um celular ou um iPod Touch, bastando que haja uma conexão de internet ativa e que atenda aos requisitos mínimos de velocidade. Isso é levar o conceito de portabilidade ao extremo, principalmente pelo fato de a internet wireless está tão em alta nos dias atuais através dos hot spots, internet 3G e 4G, além de tecnologias como o WiMax que cobrem grandes áreas com uma única antena, atendendo a milhares de pessoas.



Para os fabricantes de videogames, o OnLive traz a solução para um velho conhecido: a pirataria. O OnLive é um sistema 100% antipirataria, uma vez que o jogo não está com você, mas numa nuvem, num servidor. O máximo que os piratas de plantão conseguirão ter acesso é à imagem do jogo.


Acessórios


O OnLive conta com o chamado MicroConsole e um controller, caso se queira ter acesso ao serviço através de uma televisão comum e sem conexão com o pc. O MicroConsole não é um processador gráfico, muito menos um mini pc. Trata-se apenas de um adaptador ao qual você conectará o cabo de internet (ainda não se sabe se o aparelho possui placa Wi-Fi) e seu aparelho de TV, por meio de cabos de áudio e vídeo ou HDMI. A intenção do MicroConsole é simular a sensação de se estar jogando em um console comum (como PS3 ou Xbox 360). O aparelho ainda conta com entradas USB para a conexão de futuros gadgets disponibilizados pelo OnLive futuramente.

Controller equipado com teclas controladoras de mídia - muito prático para uma plataforma em que o acesso a outros conteúdos digitais é constante.


Saídas HDMI e entrada de cabo ethernet.


Entradas USB diantareiras.

O OnLive é realmente o futuro dos videogames?


A resposta para essa pergunta dependerá muito do sucesso do serviço em seu lançamento e de outros itens também bastante importantes como o preço e qualidade do mesmo. De fato, o OnLive já se mostra uma grande alternativa que poderá ou não ganhar forças com o passar do tempo. Entretanto, é muito difícil que os jogos para PC e consoles sumam (pelo menos não a curto prazo) de vez, pois trata-se de um mercado já consolidado e que também conta com seus gigantes como a Sony, Nintendo e Microsoft. Além disso, não podemos esquecer que a tendência dos consoles hoje é fornecer muito mais que a tradicional forma de se jogar videogames, a exemplo do Wii e do Projeto Natal, além de serem verdadeiras centrais de entretenimento, onde se pode assistir a vídeos, ouvir músicas e navegar na internet.



O OnLive tem previsão de lançamento para dia 17 de junho nos Estados Unidos. Para maiores informações acesse o site oficial ou o blog do OnLive.

Gostou da matéria? Deixe seu comentário abaixo.

Deixe seu comentário

Postar um comentário