Últimas do Mundo "L"

31.5.10

Perguntas Idiotas , Respostas cretinas


Mês passado, um amigo me disse que esse negócio de dar "resposta cretina para pergunta imbecil" é meio forçado, pois não há tantas perguntas assim à nossa disposição. 
Ingênuo, ingênuo. 
Hoje resolvi publicar uma série de perguntas que me fizeram NO MESMO DIA. Algumas eu respondi exatamente como está no texto, outras respostas deixei apenas no pensamento por educação. 
Mas é isso aí. Vejam só:

PERGUNTAS IDIOTAS DE UM ÚNICO DIA 

A Cena: 09:00 - Estou saindo para o trabalho, atrasado.
A Pergunta: Vai trabalhar?
- Não, estou com uma tremenda dor de barriga e só consigo usar o banheiro da empresa.

A Cena: 10:15 - Chegando ao escritório.
A Pergunta: Chegou da rua?
- Não, da calçada. 
A Cena: 12:30 - Na praça de alimentação de um Shopping.
A Pergunta: Vamos comer por aqui?
- Não, vamos comer em casa. Só vim aqui para ver se está tudo bem com o Bobs.

A Cena: 15:00 - Estou na sala de espera para uma reunião com o chefe.
A Pergunta: Reunião hoje, Alexandre?
- Não, amanhã. Gosto de chegar um pouco antes.

A Cena: 16:30 - Acabou a reunião.
A Pergunta: Voltando ao trabalho, Alexandre?
- Não, agora vou para uma Igreja pedir perdão ao padre por falar tantas mentiras e depois pegar uma praia. Quer ir também? 
A Cena: 17:00 - Coloco dois relatórios na mesa de um estagiário.
A Pergunta: Tudo relatório?
- Não, são receitas de bolo encadernadas. 
A Cena: 17:50 - Papeando no bebedouro, bebendo água.
A Pergunta: Bebendo água, Alexandre?
- Não, Martini.

A Cena: 18:30 - Correndo para o elevador.
A Pergunta: Indo embora?
- Não, só vou passar umas doze horinhas longe daqui. Já-já estou de volta.

Fonte

30.5.10

Videogame e uma história de amor

Histórias reais de pessoas reais, que faz com que nossa vida pareça um mar de rosas.

Clique na imagem para ampliar

Top 10 - Melhores Séries

Mais um post de top 10, dessa vez falarei das 10 séries da TV americana que eu mais gosto ou gostei de assistir.
Vamos lá:

10º Spartacus – A série é focada em Spartacus, o famoso escravo que se tornou gladiador e liderou a mais célebre revolução da Roma Antiga. 

Motivos para assistir: Sangue, Sexo, Porrada, Lucy Lawless (nossa amada XENA) e Sexo (eu já falei isso) .

9º Secret Diary a Call Girl – Conta a história de Hannah, uma prostituta de luxo que vive em Londres.

Motivos para assistir: Billie Piper (Doctor Who), mostra o dia-a-dia de uma prostituta (que gosta do que faz) e sexo para todos os gosto desde o papai e mamãe até o bizarro.

8º The L Word - A série centra-se nas vidas e relacionamentos de uma série de mulheres lésbicas e bissexuais que vivem no bairro de West Hollywood, em Los Angeles.

Motivos para assistir: Abordagens de temas como: traição, descoberta, inseminação artificial, sexualismo de uma forma abrangente, câncer de mama dentre muitos outros. E antes que eu esqueça, sempre tem o SEXO só que dessa vez entre mulheres.

7º True Blood: Fala sobre a co-existência de vampiros e humanos em "Bon Temps", após a criação do sangue sintético. A série é focada em Sookie Stackhouse, uma garçonete telepata que se apaixona pelo vampiro Bill Compton.

6º Lost – Conta a história dos sobreviventes do vôo 815 da Oceanic, que caem em uma ilha repleta de mistérios. No decorrer da trama os mistérios vão sendo solucionadas ou não.

Motivos para assistir: Mistérios, Fumaça preta aniquilando geral, Evangeline Lilly (para os homens ou mulheres), Josh Holloway (para as mulheres ou homens), os outros...

5º Dexter - Um Serial Killer que trabalha como analista forense especialista em padrões de dispersão de sangue, no departamento de policia de Miami. Dexter mata aqueles que escapam pelas brechas da lei.

Motivos para assistir: Sangue, ver os bandidos se fuderem, ver os conflitos de um serial killer, vendo a justiça ser feita pelas mãos do cara mau ou nem tão mau assim.

4º Prison Break - A história gira em torno de um homem que recebeu a sentença de morte por um crime que não cometeu e de seu irmão que elabora um plano para tirá-lo da prisão antes que aconteça a punição.

Motivos para assistir: Ver o T- Bag se fuder , acompanhar uma fuga alucinante de uma prisão de segurança máxima, descobrir que nem tudo que parece é, e que sempre tem algo a mais para se descobrir. FIKDIK 


3º House M.D. – House é um infectologista e nefrologista, que se destaca não só pela capacidade de elaborar excelentes diagnósticos diferenciais, como também pelo seu mau humor.

Motivos para assistir: Joguinhos do House, Diagnósticos muito loucos, House mal tratando seus ajudantes...

2º Grey’s Anatomy – Drama médico, focado na vida dos internos do hospital Seattle Grace que estão em busca de aprendizado, cirurgias, relacionamentos e casos inimagináveis. 

Motivos para assistir: Cirurgias, Casos médicos peculiares, McDreamy, Dramas, Romance e muito mais.

1º Battlestar Galactica – Conta a história da nave Galactica e de seus tripulantes, sobreviventes da raça humana que estão vagando no espaço após suas colônias terem sido destruídas pelos Cylons (andróides criados pelos seres humanos).

Motivos para assistir: Porque é muito FODA, ficcção cientifica de primeira qualidade, guerras espaciais,Starbuck. Poderia ficar aqui vários tópicos falando, mas só assistindo para compreender a magnitude dessa série.

E ai, concordam com a lista? Qual seria o seu top 10 de série?

Lembrando que gosto é que nem Cu, cada um tem o seu.

29.5.10

Top 10 - As Séries Mais Lucrativas dos Últimos Anos

Mais um TOP 10 sobre o Showbizz foi postado pela gigante da economia Forbes no início dessa semana. Dessa vez, o alvo era os seriados televisivos mais lucrativos dos últimos anos. Como muitos sabem, a década de 00’ mudou a concepção de programas de TV que tínhamos. Atores em decadência de repente descobriram que trabalhar em algo feito exclusivamente para a telinha poderia ser algo muito compensador – seja para reerguer a carreira (que o diga Alec Baldwin, Kiefer Sutherland e Charlie Sheen) ou para tirar uma boa grana. Outro fator a ser considerado é a quantidade absurda de novos talentos surgidos através de seriados de grande aceitação de publico e critica (alguém no fim dos anos 90 ouviu falar de Steve Carell, Tina Fey ou Felicity Huffman?!). a pesquisa a seguir, considerou somente aqueles programas passados no horário nobre. Dêem uma olhada:



10° CSI – Crime Scene Investigation

Distribuidora televisiva: CBS (no Brasil, exibido inicialmente pela AXN)
Estréia: outubro de 2000

rendimentos por 30 minutos de exibição: 2,07 milhões de dólares

**

Survivor

Distribuidora televisiva: CBS (no Brasil, exibido inicialmente pelo People & Arts)
Ano de estréia: 2000

Rendimentos por 30 minutos: 2,22 milhões de dólares

**

Lost

Distribuidora: ABC (no Brasil, exibido pelo canal AXN)
Ano de estréia: 2004

Rendimentos por 30 minutos: 2,53 milhões de dólares.

**

Dancing with the Stars

Distribuidora: ABC (no Brasil, exibido pelo canal People & Arts)
Ano de estréia: 2005

Rendimentos por 30 minutos: 2,56 milhões de dólares.

**

Desperate Housewives

Distribuidora: ABC (no Brasil, exibido pela Sony Entertainment Television)
Ano de estréia: 2004

Rendimentos por 30 minutos: 2,7 milhões de dólares.
**

V

Distribuidora: ABC (no Brasil, será exibido a partir de abril pelo Warner Channel)
Ano de estréia: 2009

Rendimentos por 30 minutos: 2,8 milhões de dólares
**

Grey’s Anatomy

Distribuidora: ABC (no Brasil, exibido pelo canal Sony Entertainment Television)
Ano de estréia: 2005

Rendimentos por 30 minutos: 2,8 milhões de dólares.
**

24 horas

Distribuidora: Fox (também no Brasil exibido por esse canal)
Ano de estréia: 2001

Rendimentos por 30 minutos: 3 milhões de dólares

**

Two and a Half Men

Distribuidora: CBS (exibido no Brasil pelo canal Warner Channel)
Ano de estréia: 2003

Rendimentos por 30 minutos: 3,1 milhões de dólares
**

Por fim, o programa que até ajudou a revelar grandes estrelas do showbizz:



American Idol

Distribuidora: Fox (no Brasil, exibido pelo canal Sony Entertainment Television)
Ano de estréia: 2002

Rendimentos por 30 minutos: 8,1 milhões de dólares.

(Fonte: Forbes)

Top 10 - Os Piores Video Games

Veja aqui o top dos piores videogames,se achar que esquecemos algum,deixe seu comentário!
Desde 1900 e 70 e poucos,os videogames estão por aí como uma forte peça de entretenimento na sociedade,divertindo e garantindo horas de jogos incríveis.Porém,nem sempre foi assim,até chegarmos aos atuais Playstation 3, Xbox 360 e Nintendo Wii tivemos que nos recuperar de grandes fiascos. Abaixo o TOP 10 dos Piores Consoles da História.
10º – Phantom
Não há nome melhor para um console que nunca seria lançado como o Phantom (Fantasma). O console da Infinium Labs veio com uma proposta revolucionária: não havia espaço para cartuchos ou CDs, em vez disso todos os jogos seriam baixados online de um diretório acessado diretamente pelo console.
O maior atrativo e conseqüentemente sua maior derrota foi a promessa de rodar tanto jogos atuais quanto os da próxima geração, o que obviamente é impossível já que a velocidade com que a tecnologia avança é exorbitante.
A ansiosa Infinium Labs pretendia vender o console em 2004, mas ainda não havia conseguido montar nem sequer um sistema de download de jogos ou mesmo encontrado produtoras para produzi-los, tendo que mais uma vez adiar o projeto. Após muito tempo de promessas e falhas unidas à problemas financeiros, o Phantom tornou-se um fracasso antes mesmo de ser lançado.
9º – N-Gage
O N-Gage é um smartphone desenvolvido pela Nokia em 2003 com a promessa de ser um gameboy melhorado. O N-Gage tem um péssimo design em todos os sentidos. A tela era mais alta do que larga, ao usá-lo como telefone você deveria colocá-lo de lado contra a orelha, deixando você numa posição ridícula (da mesma forma que aquele cara ironiza na foto).
Trocar os jogos era outro grande problema; tornava-se necessário retirar a bateria do celular, colocar o jogo, recolocar a bateria, dar o boot, para então o jogo iniciar-se. Além disso, os jogos lançados eram poucos e na maioria, péssimos.
Com o passar do tempo a Nokia resolveu diversos problemas às pressas, tornando-o muito melhor, mas já era tarde demais. O fracasso do N-Gage marcou tão fortemente que tanto os compradores quanto as produtoras de games se recusavam a dar uma segunda chance, tornando dele um fracasso.
8º- Virtual Boy
Gunpei Yokoi, o criador do famosíssimo Game Boy, errou profundamente ao criar o Virtual Boy. O Virtual Boy, de longe o maior fracasso da Nintendo, era um console de 32bits que tentou inovar tecnologicamente em 1995, uma época que ainda não existiam recursos para um console de realidade virtual, ou seja, um videogame 3D.
Para torná-lo mais barato ele possuía apenas as cores vermelha e preta, já que ser colorido o tornaria três vezes mais caro. Mesmo assim, seu efeito 3D era péssimo e o console muito caro (US$180,00) para o que tinha a oferecer.
A promessa de que ele era portátil foi igualmente falha. Você tinha de colocá-lo sobre sua cabeça e apoiar o tripé sobre uma mesa, tornando impossível de virar a cabeça para qualquer lado que não fosse para frente, causando dores no pescoço devido ao desconforto. Além disso, as cores vermelha e preta unidos ao péssimo 3D davam dores de cabeça e poderiam causar problemas de visão após pouco tempo de jogo. Poucos jogos foram lançados para o console. Após cerca de um ano de “venda” a Nintendo demitiu Gunpei e abandonou o projeto, decidida a fingir que ele nunca existiu.
7º – 3DO
Talvez nenhuma outra empresa tenha prometido tanto para um console como a 3DO Company (Uma sociedade entre 7 empresas) fez para o 3DO. Produzido em 1993 pela Panasonic, o primeiro console 32bits era uma promessa de se tornar parte do lar de qualquer um, do mesmo jeito que ocorria com a TV ou o VHS. Muitas empresas adquiriram licença para produzir jogos acreditando nisso.
O 3DO tinha o atrativo de ter tecnologia CD-ROM, mas era excessivamente caro e muito inferior ao prometido, motivo que o condenou ao fracasso antes mesmo do lançamento. Apesar de ter tido muitos títulos devido as licenças compradas pelas diversas empresas, mesmo os bons títulos já estavam disponíveis para outros consoles de forma melhorada. Muitos dos games da 3DO eram jogos feitos em forma de filmes – muitas vezes trash – interativos. O 3DO demorou excessivamente em cumprir promessas, e não aguentando contra as gigantes Sega e Sony, caiu no esquecimento após pouco tempo no mercado.
6º – Addons da Sega Genesis (ou Sega Mega Drive)
Os addons da Sega Genesis foram o principal motivo pela morte do famoso console. Vamos começar com o principal, o 32X ou SVP (Sega Virtual Processor). Com medo das novidades da concorrente NES e vendo seu console começar a ficar ultrapassado, em 1993 a Genesis bolou um upgrade para tornar o Genesis de 16bits em um 32bits com melhor qualidade visual, som e cenas 3D. E de fato, era bem mais poderosa do que o famoso addon concorrente, o Super FX, da Nintendo.
Por que falhou? A melhoria que o 32X proporcionava não era tão boa e o preço era absurdamente salgado. O 32X era uma espécie de cogumelo preto adicionado em cima do console, dando um aspecto horrível além de exigir mais uma fonte de alimentação. Muitos jogos ficavam piores em som e imagem com o 32X.O 32X também não oferecia o poder de um verdadeiro console 32bits. A maior aposta nos 32bits foi o game Virtual Racing que era extremamente caro, assim como os outros poucos títulos 32bits existentes.
Outro grande fiasco foi o Sega CD, uma extensão para rodar jogos em CD-ROM para o Sega Genesis. A união dos addons tornavam o console caro demais, exigiam 3 fontes de alimentação e deram a ele uma aparência monstruosa. Do outro lado a Nintendo deixou todos babando com Donkey Kong Country. Então, por que gastar tanto com addons ruins para Mega Drive se a Nintendo revolucionava sem mexer no hardware? Todos esses motivos unidos a falta de vendas e queda de preços dos verdadeiros 32bits fizeram com que, enfim, a Sega cavasse seu próprio túmulo.
5º – Jaguar
O primeiro console 64bits criado foi obra da desastrosa Atari de 1993. Feita para ultrapassar o MegaDrive/Genesis, Super Nintendo e competir com o 3DO, a Atari apostou tudo no seu console 64bits fazendo uma propaganda intensiva chamada “Do the Math” (Faça os cálculos), dizendo ser incrivelmente superior aos consoles 16bits mais os 32bits. Coitada, a propaganda publicitária exagerada e enganosa da Atari foi silenciada pela pobreza óbvia que todos viam no console.
Haviam pouquíssimos títulos para o console, praticamente todos ruins. Após um tempo, finalmente games bons foram lançados como Tempest 2000, o convertido de PC e famoso Doom e Wolfenstein 3D, e o grande hit Alien vs. Predator. Mesmo assim, a biblioteca de jogos era pequena demais, até por causa dos bugs que acompanharam o console. Os que queriam corrigir os bugs de seu novíssimo console tiveram que aturar péssima assistência. O controle era uma tragédia a parte, extremamente desconfortável e com mais de 15 botões.
Enfim, com a chegada do que seria o rei dos videogames, o Playstation, a massacrada Jaguar retirou definitivamente a Atari do ramo dos consoles e deixaram na memória alguns dos piores comerciais que existiram. Parece que eles não eram tão bons de cálculo afinal.
4º – Philips CDi
Em 1991, a Philips fez a besteira de construir o Philips CDi. De começo, a Philips nem sequer pensava nele como um videogame. Eles construíram uma plataforma de simples jogos educacionais, em forma de filmes longa-metragem, torcendo para que as escolas os usassem. Quando não eram educacionais eram baseados em programas de TV populares (Game shows).
Apesar de o sistema educacional ser inovador não era atrativo algum para qualquer faixa etária.
O CDi também era incrivelmente lento e desajeitado. Com as vendas lá embaixo, a Philips tentou desesperadamente melhorar sua plataforma, lançando o CD-i 450, tornando o Philips CDi realmente um console. Como forma de competir com 3DO, Super Nintendo e Sega Mega Drive, lançaram os fiasco dos games Zelda e Mário (Emprestados via contrato pela Nintendo) e abaixaram o preço de US$800 para US$400. Tarde demais, com o Sega Saturn e o Sony Playstation na área não havia escapatória para o Philips CDi.
3° – Atari 5200
Feito para suceder o Atari 2600, a Atari introduziu em 1982 o Atari 5200, que competiria com a Intellivision e principalmente a Mattel ColecoVision. O maior erro foi ter desenvolvido o console incompatível com 46 mil jogos. Outra catástrofe foi ter feito o pior controle da história dos videogames, era numerado e extremamente frágil, quebrava após poucas horas de uso. Unindo isso ao crash dos videogames em 1984, o produto tornou-se um fracasso.
2° – R-Zone
R-Zone era um game portátil da Tyger Eletronics lançado em 1995, projetado para competir com o Virtual Boy. O R-Zone tinha cartuchos com uma mini-tela LCD vermelha em seu centro que projetava a imagem em um espelho HUD colocado em uma tira (headset) em volta da cabeça do jogador (veja a imagem). Era extremamente desconfortável, você tinha que jogar “com meio olho” para enxergar a tela.
A propaganda fazia um alvoroço enorme para anunciar o headset, como se fosse um Playstation 4, mas na realidade o console era como aqueles minigames que vem nas caixinhas de cereais atuais como brinde. Anos mais tarde, após o incrível desconforto do R-Zone, a Tyger abandonou a idéia de visor e decidiu em fazer um console totalmente portátil com o extenso nome de R-Zone X.P.G (Xtreme Pocket Game), que também ficou conhecido apenas como R-Zone. De fato, ninguém considerava o R-Zone um console, era apenas um brinquedo ruim.
O que podia se esperar de um “console” de US$30? As novas mudanças foram mínimas afundando de vez o R-Zone para o cemitério dos consoles. Graças ao photoshop eu não digo mais que uma imagem vale mais que mil palavras, mas certamente um vídeo vale. Abaixo um vídeo do R-Zone X.P.G. Não é necessário assisti-lo todo, apenas um minuto te dará a noção do quão ruim foi o R-Zone.
1° – Gizmondo
Em 2000 a Tiger Telematics conseguiu impressionar com um portátil muito promissor. Gizmondo surgiu como das sombras na E3, causando supresa imediata. Possuía bons controles, bons jogos (apesar de poucos), música, filmes, mensagens instantâneas, GPS, câmera e, além de tudo isso, um sistema incrível de Realidade Aumentada que simula personagens em um cenário real, usando uma espécie de mini tapete especial que faria parte do portátil.
O sistema de Smart Adds pretendia subsidiar parte do custo das unidades para o consumidor.Um Gizmondo com o Smart Adds ativado custava menos (£129/$229), porém exibiria publicidades na tela a intervalos aleatórios enquanto o usuário estava na tela principal do console.Infelizmente foi um fracasso total de vendas e a companhia faliu,tendo produzido apenas 14 jogos(mais um motivo pro fracasso).Fora que o videogame nao atraiu o publico,mais envolvido com games como o playstation e n64.

E você?acha que esqueçemos algum console?Deixa aí seu comentário!

28.5.10

Top 10 - Motivos para assistir Prince of Persia

Cinema:Filme Prince of Persia: As areias do Tempo
A adaptação dos games para o cinema de “Prince of Persia: As areias do Tempo” promete muita ação e olhos grudados na tela, além disso, o MSN foi conferir o filme Príncipe da Pérsia [que estreia dia 04 de Junho] e nos contam por quais motivos não podemos deixar de assistir ao filme. Confira!

  1. As areias do tempo são nada mais nada menos que as areias “sagradas” do Marrocos, o único país do continente africano, que não faz parte da União Africana – ambinete que se encaixa perfeitamente com a história do filme.
  2. A dupla dos lindões Jake Gyllenhaal e Gemma Arterton (o príncipe e a princesa) está de cair o queixo. Tanto em visual quanto em talento.
  3. Falando em visual, os efeitos especiais estão muito bem feitos. Desde releituras de castelos do mundo persa até as areias do tempo.
  4. Ação e aventura sem parar. No bom estilo de filmes como “Piratas do Caribe”, o príncipe dá um bom Jack Sparrow, só que do bem!
  5. Apesar de muitas batalhas e lutas com espadas, o longa não conta com um alto teor de violência. Ponto positivo! Toda a molecada pode curtir sem empecilhos.
  6. Trailer do Filme Prince of Persia: As areias do Tempo

  7. A trilha sonora que te coloca dentro do mundo persa e que fica mais e menos intensa de acordo com o teor da batalha ou cenas de pura emoção.
  8. Direção de primeira, com o trabalho de Mike Newell, o mesmo de Harry Potter e o Cálice de fogo e Donnie Brasco, clássico filme estrelando Al Pacino.
  9. Personagens marcantes. Além da princesa, há a família real e até mesmo um caçador de tesouros acompanhado por um fatal membro de uma tribo indígena que dão o ar da graça.
  10. Ver o herói clássico dos games em carne e osso.
  11. É típico filme de verão, para assistir com pipoca, namorado (a), refrigerante, balas e sem preocupação. Só diversão. Não tenha dúvidas que você vai sair da sessão eufórico e feliz.

OnLive: a plataforma que pode revolucionar o mundo dos games como o conhecemos

Materia retirada do Infológico


O mês de Junho está quase chegando e com ele aquilo que promete ser uma das maiores inovações no campo dos jogos de videogame. Estamos falando do tão comentado OnLive, a incrível plataforma que permitirá que se jogue qualquer jogo disponível no mercado via streaming de vídeo. E o que isso significa? Significa jogar títulos de última geração de qualquer lugar e sem que você precise de um computador incrementado, bastando que exista uma conexão de internet.

Funcionamento


O OnLive é tudo aquilo que um gamer sempre sonhou. Imagine só ter acesso aos títulos de grandes empresas à medida que eles forem saindo e o melhor, não precisar de uma grande máquina para jogar. Se formos parar pra pensar, tal serviço poderá ser uma ameaça direta aos consoles, pois caso tudo ocorra como previsto e o OnLive se torne verdadeiramente uma plataforma viável, não terá mais sentido ficar mudando de aparelho sempre que lançarem uma geração nova, uma vez que os gráficos não estarão rodando nativamente em seu computador, mas num servidor a milhares de quilômetros de você.

O serviço é basicamente um streaming de imagem e som, muito parecido àquilo que vemos no YouTube, por exemplo. O serviço exigirá uma assinatura mensal ou anual, com a qual você terá acesso a uma conta onde ficarão armazenados todos os seus dados de jogador, como pontuação, amigos e últimos jogos. O OnLive ainda oferecerá um sistema de "jogos ao vivo", ou seja, você poderá ver o que outras pessoas ao redor do mundo estão jogando naquele momento, algo como um quadro com imensas telas nas quais os jogos são exibidos. Por enquanto, apenas residentes nos Estados Unidos terão acesso ao serviço.

Por meio da página inicial poderá se ter acesso a qualquer área do OnLive facilmente


- OnLive Arena -
Aqui você pode acompanhar qualquer jogo que esteja acontecendo naquele momento

O funcionamento do OnLive é impressionante e é o que mais chama a atenção nele (e o motivo pelo qual os críticos duvidam que tal serviço dará certo). Segundo o vídeo de demonstração, ao jogar no OnLive o impulso elétrico referente ao apertar de um botão de ação é processado pelo servidor em impressionante 1ms (um milisegundo). Depois entram em ação os poderosos processadores de imagem do servidor central, localizado no estado americano da Virgínia. Eles processam a imagem, fazem a compressão e enviam até o jogador em 80ms, que é o tempo que a visão humana leva para perceber a imagem na tela após pressionar o botão. A intenção é fazer com que o jogador pense que está rodando o jogo nativamente no pc ou jogando em um console comum.


Nós sabemos que mesmo que a conexão com a internet tenha boa velocidade, existem alguns empasses no decorrer da transmissão que podem reduzir a velocidade e, quando falamos de OnLive, uma pequena redução de velocidade prejudicaria o funcionamento geral do serviço, pois não há o velho conhecido sistema  de "buferring", ou seja, aquela pequena pausa que percebe-se antes que um vídeo tenha início. Isso porque a imagem não pode esperar um segundo sequer para surgir na tela - seria o fracasso do serviço! Para tanto, os criadores do OnLive inventaram uma nova forma de comprimir vídeos de maneira extremamente rápida e sem perda de qualidade, de modo que a transmissão seja imediata.

Segundo algumas entrevistas dadas a imprensa pelos criadores do serviço, não será necessário que o usuário possua uma conexão de internet de grande velocidade, exigindo o mínimo de 1 mbps para ter acesso. A qualidade da imagem chegada à tela do jogador variará de acordo com esta velocidade, podendo ir do padrão de TV (640x480) a alta definição (não foi informado qual dos três padrões HD será o máximo oferecido pelo OnLive).

- OnLive Brag Clips -
Aqui poderá se gravar vídeos do jogo que se está jogando e disponibilizá-los aos demais usuários.

Vantagens de se jogar no OnLive


Há questões significativas que podem popularizar o OnLive rapidamente. A primeira delas é que o OnLive não se trata de um catálogo de jogos. O que isso significa? Significa que você poderá jogar on line qualquer jogo que saia nas lojas e que pertença a uma das empresas filiadas ao serviço. E isso não é pouco, pois as grandes empresas fabricantes de videogames já deram seu apoio ao OnLive, tais como EA Games, Ubisoft, Warner, Epic, THQ, entre outros. Infelizmente a Actvisionainda não confirmou sua parceria. Para quem já é familiarizado com serviços de catálogos de jogos, como o Steam, sabe que somente alguns títulos ficam disponibilizados para que o usuário faça download. No OnLive, o jogo ficará disponível no ato do lançamento ou pouco tempo depois disso e sem restrições. Dentre os títulos em destaque estão Metro 2033, Mass Efect 2, Prince of Persia: The Forgotten Sands e Assassin's Creed II. Versões betas podem ser disponibilidades e testadas pelos usuários que poderão ajudar no desenvolvimento de jogos fornecendo um feedback aos desenvolvedores. 



Outra grande vantagem é que, tecnicamente, não há download de conteúdo nenhum, ou seja, não será necessário esperar que o browser baixe alguma complemento, nem que se tenha que esperar horas para a realização de um download completo. O acesso ao jogo escolhido é imediato.

Por ser basicamente um streaming de vídeo, o OnLive permitirá ao jogador ter acesso a qualquer jogo de onde quer que ele esteja e utilizando aquilo que ele estiver à mão, seja um PC, um Mac, um netbook, um celular ou um iPod Touch, bastando que haja uma conexão de internet ativa e que atenda aos requisitos mínimos de velocidade. Isso é levar o conceito de portabilidade ao extremo, principalmente pelo fato de a internet wireless está tão em alta nos dias atuais através dos hot spots, internet 3G e 4G, além de tecnologias como o WiMax que cobrem grandes áreas com uma única antena, atendendo a milhares de pessoas.



Para os fabricantes de videogames, o OnLive traz a solução para um velho conhecido: a pirataria. O OnLive é um sistema 100% antipirataria, uma vez que o jogo não está com você, mas numa nuvem, num servidor. O máximo que os piratas de plantão conseguirão ter acesso é à imagem do jogo.


Acessórios


O OnLive conta com o chamado MicroConsole e um controller, caso se queira ter acesso ao serviço através de uma televisão comum e sem conexão com o pc. O MicroConsole não é um processador gráfico, muito menos um mini pc. Trata-se apenas de um adaptador ao qual você conectará o cabo de internet (ainda não se sabe se o aparelho possui placa Wi-Fi) e seu aparelho de TV, por meio de cabos de áudio e vídeo ou HDMI. A intenção do MicroConsole é simular a sensação de se estar jogando em um console comum (como PS3 ou Xbox 360). O aparelho ainda conta com entradas USB para a conexão de futuros gadgets disponibilizados pelo OnLive futuramente.

Controller equipado com teclas controladoras de mídia - muito prático para uma plataforma em que o acesso a outros conteúdos digitais é constante.


Saídas HDMI e entrada de cabo ethernet.


Entradas USB diantareiras.

O OnLive é realmente o futuro dos videogames?


A resposta para essa pergunta dependerá muito do sucesso do serviço em seu lançamento e de outros itens também bastante importantes como o preço e qualidade do mesmo. De fato, o OnLive já se mostra uma grande alternativa que poderá ou não ganhar forças com o passar do tempo. Entretanto, é muito difícil que os jogos para PC e consoles sumam (pelo menos não a curto prazo) de vez, pois trata-se de um mercado já consolidado e que também conta com seus gigantes como a Sony, Nintendo e Microsoft. Além disso, não podemos esquecer que a tendência dos consoles hoje é fornecer muito mais que a tradicional forma de se jogar videogames, a exemplo do Wii e do Projeto Natal, além de serem verdadeiras centrais de entretenimento, onde se pode assistir a vídeos, ouvir músicas e navegar na internet.



O OnLive tem previsão de lançamento para dia 17 de junho nos Estados Unidos. Para maiores informações acesse o site oficial ou o blog do OnLive.

Gostou da matéria? Deixe seu comentário abaixo.